As formas de pagamento no e-commerce: cartão de crédito ainda é o preferido

Cartão de CréditoO e-commerce brasileiro está crescendo e tudo leva a crer que entrará no Top 5 mundial até 2016. Há um leque enorme de produtos para o consumidor e diversas opções de pagamento para concluir o pedido.

É nesse momento que surgem dúvidas. Qual a melhor forma de pagamento? A compra à vista no boleto bancário, o parcelamento no cartão de crédito ou outras formas que estão se desenvolvendo, como o débito automático e o boleto parcelado?

Tradicionalmente o líder na preferência dos brasileiros é o cartão de crédito. Mais de 75% dos consumidores no comércio eletrônico nacional optam por ele. Tudo por conta da facilidade que oferece: rápida aprovação da compra sem precisar sair da interface da loja virtual.

O dinheiro de plástico também é o preferido dos varejistas. Além do alto número de utilizações, o formato não prende o estoque e tem a garantia de pagamento na hora, evitando arrependimentos – comum no e-commerce, já que a maioria dos pedidos em lojas virtuais é feita por impulso.

O que pesa contra esse sistema é a insegurança que ainda oferece. Muitos não compram pela internet justamente com medo de fraude e de ter o cartão clonado. Outros, preferem fugir da fatura e dos juros.

O cartão ainda exige muitos recursos do varejista. A manutenção da plataforma e implantação de soluções de segurança e antifraude podem resultar em aumento no preço de determinado produto.

O boleto é a segunda opção do mercado brasileiro e corresponde por 15% dos consumidores no e-commerce. Ele oferece mais segurança por não utilizar dados bancários e permite redução dos custos para as lojas.

A questão é que o pagamento demora alguns dias a ser compensado. Isso faz com que a loja segure o estoque sem ter a garantia de que efetivamente o pedido será pago. A espera também aumenta o tempo de entrega ao comprador.

A tendência nos próximos anos é o cartão ratificar ainda mais sua liderança na preferência nacional. O próximo passo é facilitar as transações do cartão de débito. Mesmo sendo uma forma mais segura de pagamento, ele não é muito utilizado pelos consumidores por solicitar o acesso ao site do banco, fazendo com que saia da interface da loja. Atualmente, esse é o maior empecilho para evoluir.

Há também o modelo de boleto parcelado, mas ele peca pelos mesmos erros. Segura o estoque por muitos dias até a confirmação do pagamento e ainda não  gera um fluxo de caixas para o lojista.

Em breve, ainda veremos meios de pagamento inovadores ganhando força no mercado, como os chamados bit payments, que já mostram avanços em alguns países.

Mas, o importante é que o varejista ofereça no mínimo dois tipos de pagamentos ao consumidor. No caso do Cartão de Crédito e Boleto Bancário eles atendem mais de 90% das pessoas que compram na Internet e mostram a preocupação da loja em contemplar as preferências de diferentes clientes.

Além disso, ter preços diferenciados para cada forma de pagamento é essencial, visto as distintas condições apresentadas pelos respectivos fornecedores. Conhecer as práticas da concorrência para manter-se competitivo é fundamental em qualquer circunstância, e portanto é imprescindível monitorar os diferentes preços praticados para embasar as estratégias de venda do e-commerce.