Dicas de como evitar fraudes em lojas virtuais

Os consumidores sabem, os lojistas também: infelizmente, o número de golpes virtuais em e-commerces cresce à medida que o número de lojas on-line e compradores também crescem. Por isso, é importante blindar o máximo possível o seu e-commerce, evitando a invasão de criminosos e protegendo também os dados de seus clientes.

Os dados sobre as fraudes em lojas virtuais

Segundo dados do órgão Lacnic (Registro de Direções de Internet na América Latina e no Caribe), as fraudes aplicadas no e-commerce no ano de 2013 praticamente quadruplicaram na região da América Latina, e o maior vilão é o chamado phishing, que invade dados de cartão de crédito e de contas bancárias de clientes.

A empresa Cybersource também mostra dados relevantes sobre os crimes virtuais: 1,2% das receitas do setor no mundo todo são perdidos por meio de fraudes, e entre os países considerados menos seguros nesse quesito, em que a Nigéria é líder, figura o Brasil.

Reverter essas estatísticas e melhorar o posicionamento das lojas virtuais do nosso país em relação à segurança é possível e alcançável, e depende dos esforços tanto dos grandes players quanto dos pequenos lojistas.

Como afastar a possibilidade de fraudes

Um dos grandes problemas no Brasil é a compra de bens e produtos com meios de pagamento fraudulentos, roubados de outras pessoas. A clonagem de cartões ou o uso dos dados é algo difícil de ser controlado pelo próprio lojista, e torna-se um fator de risco, influenciando até mesmo em itens como o preço de venda.

Porém, é possível evitar esse tipo de problema adotando alguns procedimentos e estratégias. Terceirizar toda a operação financeira é uma saída um pouco mais dispendiosa, porém totalmente eficaz, e não faltam opções confiáveis e seguras. Também é possível criar uma operação interna, com estrutura própria. O importante mesmo é oferecer aos compradores total segurança, e evitar prejuízos não só para o seu próprio negócio, mas também para o seu cliente.