Será que todo mundo concorre comigo?

Antes de traçar estratégias de marketing para sua loja virtual é importante fazer a seguinte pergunta: Afinal, quem são meus concorrentes de verdade?

O erro de alguns lojistas é balizar suas estratégias considerando um determinado número de concorrentes que nem sempre são, de fato, concorrentes.

Por exemplo: Uma loja pequena focada em venda de acessórios para celulares para classe C traça como objetivo chegar no nível de venda de um grande varejista, com marca estabelecida no mercado há anos e com público das classes A e B. Faz sentido brigar com gigantes? Isso realmente depende muito do seu posicionamento de mercado.

Um outro exemplo é pensar em uma banca de jornal, ela  necessariamente concorre com uma revistaria de um shopping center? Essa é uma falha comum entre alguns varejistas: pensar que toda loja que venda os mesmos produtos são concorrentes.

concorrentes

É importantíssimo conhecer de perto seus concorrentes para saber exatamente o que eles estão fazendo. Ter visão sobre o seu portfólio de produtos e saber como eles praticam os preços.

Tenho algumas dicas para você se basear na hora de pensar em seus concorrentes diretos, para monitorar os preços e construir sua estratégia de venda baseada nos dados dessa análise:

  1. A loja virtual vende os mesmos itens que a sua loja?
  2. Estão posicionados da mesma forma no mercado?
  3. Vocês atendem o mesmo público?
  4. Ambos conseguem oferecer frete grátis?
  5. Você sabe como esse possível concorrente cobra pelo frete?
  6. Ambos têm o mesmo prazo de entrega para as mesmas categorias e nas mesmas regiões?

Essas são algumas perguntas simples que podem ajudar  você a identificar seu real concorrente.

Com essas respostas em mãos, é possível adequar sua estratégia e “brigar” de igual para igual, sem perder margem de venda, nem afetar sua rentabilidade. Conhecendo bem seu concorrente você pode também tirar vantagens com base em itens que estão disponíveis em seu estoque mas em falta nos demais sites.

Para irmos direto à prática, esse trabalho só será viável através de uma plataforma. No caso da Precifica, por exemplo, você pode monitorar preço, disponibilidade, valor do frete e condições de pagamento dos concorrentes que quiser, e daí sim avaliar com quais deles vale disputar por competitividade.

A partir daí, há outra solução que pode ser aplicada – a Precificação Dinâmica, que nada mais é do que inserir regras na ferramenta para que você acompanhe mudanças estratégicas da concorrência e ainda preserve seu lucro. Por exemplo, se você vende um aparelho celular por R$ 799,00 e o seu concorrente está praticando o valor de R$ 699,00, significa que ele está mais atrativo. Por isso, sabendo que o seu preço de custo é de R$ 399,00, por exemplo, e considerando o Mark-up que você deseja atingir, há possibilidade de reduzir o seu preço sem ficar no prejuízo.

Pode ser o caso de vender o celular a R$ 649,00 e conquistar vendas com rentabilidade. E o melhor, tudo pode ser feito de forma automática e não apenas para um produto, mas sim para todo o seu portfólio.