Controle de concorrência e precificação automática

Publicado em 01.12.2015 no veículo Jornal DCI.

Jornal DCI

Sistemas agilizam mudanças nos preços e ajudam a monitorar o mercado, garantindo maior dinâmica nos fatores que geram competitividade dos produtos

A precificação no comércio on-line exige agilidade no acompanhamento das práticas de mercado para não perder vendas e aproveitar oportunidades.

Nessa tarefa, muitas lojas estão investindo em soluções que monitoram a concorrência e fazem automaticamente os ajustes de valores para garantir competitividade. “A dinâmica nesse mercado é tamanha que há produtos que mudam de preço de cinco a seis vezes no mesmo dia dentro de um site”, afirma o CEO da Precifica, Ricardo Ramos.

O sistema da empresa atualiza os dados de hora em hora. O lojista define os parâmetros com os quais vai atuar, determinando até que ponto um preço pode ser reduzido, quando deve ser elevado ou o momento de lançar uma promoção.

O e-commerce de produtos automotivos Itaro usa a solução em sua estratégia para venda de pneus e monitora 20 concorrentes. “A ferramenta ajuda a empresa a otimizar vendas e margem”, diz o diretor de operações, Ricky Sperber. Entre as vantagens destacadas pelo executivo está o monitoramento dos marketplaces e a possibilidade de mudança automática à noite. “Usamos vários parâmetros, dependendo das negociações com as marcas, ou se queremos ser mais agressivos em algum produto. A cada duas semanas fazemos uma revisão da estratégia”, afirma Sperber. Além da venda de produtos automotivos, a Itaro conta com um marketplace de serviços, faturou R$ 30 milhões em 2014 e recebeu este ano aporte de R$ 10 milhões de um fundo de investimento.

Para ter a ferramenta da Precifica o lojista paga o custo de configuração e um valor mensal que varia de acordo com a quantidade de produtos e concorrentes a serem monitorados. A mensalidade para entre 500 e 750 itens é de cerca de R$ 1 mil, com o monitoramento de sete sites, incluindo os principais marketplaces, informa Ramos.

“No varejo onde o produto é uma commodity, a estratégia de preços é fundamental, na outra ponta tem um consumidor comparando o tempo todo. Se a loja não acompanhar o mercado, acaba perdendo muita venda”, diz o presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), Eduardo Terra.

DCI