Preços durante a Black Friday serão mostrados de hora em hora

Publicado em 30.10.2015 no veículo G1.

A edição 2015 da Black Friday será no dia 27 de novembro e o site www.BlackFriday.com.br exibirá aos consumidores um relatório a cada hora sobre os valores dos produtos monitorados. O levantamento ainda contará com preço à vista, preço a prazo e disponibilidade em estoque.

O monitoramento dos preços será feito pela Precifica, empresa especializada em precificação inteligente. No site será apresentada ainda uma lista com as 10 melhores ofertas.

Com atualização de hora em hora, a relação dos 10 itens mais baratos também poderá ser visualizada através das principais categorias como celulares, tablets, eletrodomésticos, computadores, entre outros, e conterá informações como valor da oferta, valor médio do mercado e percentual da variação.

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o evento deve movimentar R$ 1,31 bilhão, alta de 18% em relação a 2014. Cerca de 80% dos consumidores online pretendem aproveitar as promoções, segundo pesquisa divulgada pelo E-bit/Buscapé. Já a previsão de faturamento do Busca Descontos e ClearSale, organizadores do evento no país, é de R$ 978 milhões, devendo bater o recorde do ano passado.

Muitos internautas devem antecipar as compras de Natal em razão do evento, de acordo com Maurício Salvador, presidente da ABComm. “36% das vendas serão pessoas antecipando as compras de Natal”, afirma. O ticket médio deste ano previsto deve ultrapassar a marca de 2014: R$ 422,39 contra R$ 416,75, respectivamente, uma expectativa de crescimento de 12% em relação a 2014. Segundo a organização da principal promoção de preços no comércio eletrônico do país, os produtos que apresentarem distorção nos valores serão retirados do site.

Entre as empresas confirmadas estão Marisa, GM, Nespresso, Boticário, Hering, Privalia, Lojas Colombo, Hotel Urbano, Mercado Livre, Authentic Feet, Dell, Walmart.com.br, Empório da Cerveja, Saraiva, HP, Netfarma, Bestday, Lojas Pompéia, Quem Disse Berenice, Super Muffato e Azul.

Veja 7 dicas da ABComm para os consumidores aproveitarem melhor as promoções da Black Friday:

Pesquise antecipadamente preços e lojas
Se o consumidor estiver de olho em um produto específico e está aguardando a Black Friday para aproveitar um possível desconto, ele deve começar desde já a pesquisar o valor e também as lojas, avalia Ricardo Ramos, fundador da Precifica, empresa especializada em precificação inteligente de produtos no comércio eletrônico. “É importante ficar de olho, dias antes da Black Friday, no comportamento das lojas em que tem interesse em comprar algum item”, afirma. “Entender o comportamento destes varejistas garante que o consumidor faça um bom negócio em vez de adquirir um produto que, na verdade, nunca esteve realmente em promoção”, complementa Ramos.

Cuidado com pagamentos por boleto bancário
Um dos maiores meios para a realização de fraudes, o pagamento por boleto bancário deve ser efetuado com a maior cautela, avalia Daniel Bento, VP de Meios de Pagamento e Antifraude da ABComm. “Há dois perigos ao se comprar com boleto: a alteração dos dados de pagamento, o que faz com que o valor caia na conta dos fraudadores, e o risco de a loja sumir com o dinheiro e não entregar o produto”, afirma. Bento diz que é sempre bom buscar se não há reclamações anteriores das lojas em sites como Reclame Aqui e em outros fóruns de atendimento ao consumidor. “Um boleto em arquivo PDF é bem mais seguro do que um impresso direto na página”, complementa.

Atente-se às condições de troca e devolução
Em razão da Black Friday, algumas lojas podem alterar as políticas de troca e devolução de alguns produtos que entrem em promoção. Por isso, é importante que o consumidor tenha total atenção a essa questão antes de efetuar a compra, alerta Luan Gabellini, sócio-fundador da Betalabs, empresa especializada em gestão de comércio eletrônico. “Para o consumidor, a dica é sempre ficar muito atento a letras de rodapé e eventuais condições diferentes de entrega que a loja possa aplicar nesse período”, afirma. “Garantia do produto e política de troca e devolução também podem virar pegadinha.”

Priorize as compras com cartão de crédito
Por mais que as compras por boleto bancário possam oferecer descontos maiores, o mais seguro para os consumidores é priorizar a compra pelo plástico, avalia Daniel Bento, da ABComm. “O método de pagamento mais seguro que existe é o cartão de crédito”, afirma. “O consumidor sempre terá a ajuda do banco caso alguma coisa errada aconteça”.

Relacione-se com a empresa via SAC
Se o consumidor que pretende adquirir algum produto tiver dúvidas sobre o item e sobre as condições de compra ele deve entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor da loja, avalia Albert Deweik, diretor da NeoAssist, empresa especializada em atendimento ao consumidor. O internauta que efetivamente realizar compras no dia do evento também deve se preocupar com o pós-venda. A semana pós Black Friday é quando geralmente ocorrem as reclamações dos internautas que realizaram as compras. É direito do consumidor buscar o SAC para resolver possíveis problemas da compra, avalia Deweik.

Procure antecipar as compras de Natal
Produtos como eletrônicos e eletrodomésticos devem passar por grandes promoções por serem os mais demandados. Para o consumidor, pode ser interessante antencipar algumas compras, já que algumas lojas devem fazer promoções mais agressivas na Black Friday, avalia Eduardo Gimenes, gerente de Marketing da Tray, especializada em criação de lojas virtuais. “A estratégia para a Black Friday geralmente é mais agressiva em função do tempo, sendo, teoricamente, um dia de grandes vendas e ofertas”, afirma.

Cuidado com promoções recebidas por e-mail
São em eventos como esse que os fraudadores aproveitam a oportunidade para roubar dados de consumidores que recebem promoções via correio eletrônico. Por isso, é importante que o internauta tenha cuidado ao clicar em links recebidos por meio de e-mail marketing, avalia Victor Popper, sócio-fundador da All In, empresa de marketing digital da Locaweb voltada para e-mail marketing. O consumidor deve observar a extensão do destinatário do e-mail e verificar se corresponde de fato ao da loja virtual. Esses links podem levar o internauta a sites que são cópias dos originais, mas que servem apenas roubar os dados, alerta Popper.

Edição do ano passado
O faturamento do comércio eletrônico durante a Black Friday no Brasil chegou a R$ 1,16 bilhão no ano passado, segundo a empresa de informações sobre comércio eletrônico E-bit, ligeiramente abaixo do previsto e guiado sobretudo pela alta do valor médio das compras. A Black Friday Brasil 2014 recebeu pelo menos 12 mil reclamações, só levando em conta as queixas de consumidores recebidas pelo site especial do Reclame Aqui sobre a promoção de descontos. O acesso do hotsite teve média de 6 mil visitas por instante e picos que chegaram a 12 mil pessoas ao mesmo tempo, totalizando 1,3 milhão de acessos.

Os principais motivos de queixa dos consumidores foram maquiagem de preços, dificuldade no acesso aos sites, mudança no valor de produtos no momento de finalizar a compra e problemas no pagamento, incluindo a rejeição a cupons de desconto e a ausência de opções de pagamento, como boletos bancários.

Outra forma de maquiagem identificada pelos consumidores foi a cobrança de frete caro, compensando o desconto no preço. Também houve dezenas de casos de produtos que “sumiam” no momento em que eram colocados no carrinho virtual. Algumas empresas tiveram falta de produtos em estoque já nas duas primeiras horas da promoção.
O total de vendas foi de R$ 871.986.167. De acordo com a Clearsale, responsável pela análise de risco de 84% dos e-commerces brasileiros e o Busca Descontos, criador do site BlackFriday.com.br, o crescimento das vendas foi de 48% em relação a 2013, quando o valor chegou a R$ 590 milhões.

O número total de pedidos foi de 2.092.345, com valor médio de gasto de R$ 416,75. Os eletrônicos foram a categoria de produtos e serviços mais procurada.

Saiu também em:

Gente e Mercado

E-commerce News

E-commerce Brasil

Comunique-se